Boas práticas para gerar confiança com os fiéis na Igreja

20.Janeiro.2019
 

A confiança se constrói pouco a pouco nas relações pessoais. E assim também o é em relação à Igreja.

Há os que frequentam a igreja desde crianças, há os que começaram a caminhada em Cristo há pouco tempo... mas para com todos esses o compromisso da Igreja é o mesmo, ser Mãe, acolher, ser casa de Deus e trazer transparência em seus atos, afinal, isso é seguir o modelo de Cristo.

Muito se questiona a respeito da idoneidade da Igreja, e isso se dá por diversos motivos. Entre eles obras malignas, que buscam denegrir a imagem da Igreja a fim de afastar seus fieis dela e do caminho de Deus; má conduta de homens e pessoas dentro da Igreja, que apesar de estarem lá, ainda possuem a mancha do pecado original e a tendência a ele; falta de transparência até por pura falta de organização; entre outros.

É preciso, no entanto, em relação às falhas humanas refletir sobre o fato de que mesmo na presença delas, a Igreja se difere, pois ela permanece santa, e o é porque é a única Instituição na Terra que possui uma dimensão divina. Sua substância (essência/natureza) permanece pura sempre. Os homens na sua condição humana podem pecar, mas a Igreja não.

Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível”. (Ef 5, 25-27)

De qualquer forma, a fim de fazer valer o que a Igreja prega, e sanar possíveis desconfianças, por outro lado, há alternativas excelente de boas práticas que podem e devem ser implantadas sempre que possível. Elas contribuem para a transparência, segurança e confiança na relação entre os fieis e a Igreja.

Veja algumas delas:

# Mantenha as contas abertas

É essencial manter as contas abertas para gerar confiança de que os processos realizados são corretos a quem se interessar em saber, principalmente, os dizimistas, que assumem um compromisso de contribuição recorrente.

Nesse sentido, o gestor da igreja deve se preocupar em não deixar nenhuma dúvida quanto a aplicação dos recursos da organização, afinal, a igreja depende da confiança e da voluntariedade dos membros e essa precisa ser alimentada. 


# Apresente relatórios na reunião de CPP

Uma excelente maneira de aumentar a transparência da gestão financeira eclesiástica é realizar a apresentação de um relatório financeiro da igreja nas reuniões de CPP de forma periódica.

Assim, o conselho pode acompanhar de perto cada passo e se inteirar sobre o andamento dos gastos. Faça uma apresentação simples e clara, bem explicativa, utilize de elementos visuais como tabelas e gráficos para facilitar o entendimento e ser objetivo.

Mantendo os membros informados a respeito das despesas todos podem se empenhar mais em planejar os projetos como um todo de forma adequada à realidade.

# Utilize a comunicação para a transparência 

Os veículos de comunicação da igreja como as redes sociais, jornal, entre outros sempre que possível devem ser utilizados a fim de apresentar aos fieis as melhorias realizadas na paróquia ou iniciativas, eventos, investimentos realizados nos quais foi aplicado o dinheiro recebido através de dízimo e ofertas.

Apresentar de forma concreta o que é feito com o dinheiro, apresentar as obras realizadas por intermédio dessas pessoas, é uma excelente forma de ser transparente, prestar contas de maneira sutil e engajar para que essas pessoas continuem com seu compromisso de contribuição e outras mais queiram começar a ofertar também.


# Avisos nas missas

A palavra do Padre tem muito valor e peso, ele é o principal responsável pela paróquia, então quando ele é a pessoa a se pronunciar há uma responsabilidade e um compromisso ainda maior com o povo.

Sempre que possível, é recomendável que o Padre, conscientizando-se também da importância da transparência para o sustento da Igreja, se pronuncie sobre as contas, sinalize aos fieis que elas estão à disposição na secretaria a quem quiser conferir o fechamento. Muitas pessoas não irão de fato conferi-las na secretaria, mas só pelo fato do Padre se posicionar e anunciar que a Igreja está aberta, já é um grande ponto positivo para a construção da confiança com o povo.

#Implantando um sistema de gestão seguro

Avaliar a implantação de um sistema de gestão a fim de tornar ainda mais eficaz a segurança e transparência nas ações com certeza é uma excelente alternativa.

Os sistemas de gestão financeira possuem um controle de informações e evitam de forma considerável possíveis fraudes ou desvios. Além disso, todos os dados são inseridos nele automaticamente a cada transação ou ação por meio de tecnologia avançada.

Por exemplo, neste caso uma pessoa ao fazer a contribuição do dízimo, automaticamente, vê o valor ser registrado no sistema. Isso traz segurança ao fiel. Ele recebe comprovantes com os respectivos valores e dados da transação efetuada em tempo real. 


Através desse método, é possível promover ainda mais transparência e fortalecer o vinculo entre igreja e paroquiano em prol de um único objetivo, a manutenção da obra de Deus.

Gostou das dicas? Que tal conhecer o sistema de gestão financeira ServoTicket da ServoFiel?

Acesse www.dizimofiel.com.br e confira essa e ainda outras soluções a fim de te auxiliar na vida financeira eclesial.

Continue a navegar pelo nosso blog e acompanhe todas as nossas atualizações.

 
 
 
 
 
 
Comente com o facebook
 
 
Um projeto da
 
Conheça nossas soluções
  •  
  •  
  •  
  •  
Redes sociais
  •