Dicas para viver o tempo quaresmal na diocese

15.Fevereiro.2019
 

A Quaresma tem início na Quarta-feira de Cinzas e término na missa do Sábado de Aleluia. 

A Quarta-feira de Cinzas foi instituída já há muito tempo pela Igreja e também há milhares de anos já os judeus encaravam as cinzas como representação de arrependimento profundo dos pecados. Mas, o verdadeiro sentido das cinzas que são colocadas em nossas testas pelos sacerdotes é o de nos lembrar que voltaremos ao pó, que todos vamos morrer um dia e nada levaremos.

“Todos caminham para um mesmo lugar. Todos saem do pó e para o pó voltam.” Eclesiástes 3:20

Nesta ocasião, somos lembrados de que precisamos cuidar da alma, pois o corpo fica envelhecido por causa do pecado original. As cinzas reforçam que estamos aqui somente de passagem, em caminhada rumo à vida eterna.

Ou seja, começar a quaresma com a quarta-feira de cinzas é o pontapé inicial para vivermos momentos de profunda transformação ao longo dos 40 dias de caminhada espiritual.

Ao longo desse tempo, vivemos um período de penitência, recolhimento e verdadeiro combate espiritual. Renunciamos a determinados alimentos e hábitos, praticamos jejum como fonte de purificação em busca da conversão.

• Mas, por que 40 dias?

O número 40 é muito significativo biblicamente. Afinal, foram:

40 dias de dilúvio;
40 dias de Moisés no Monte Sinai;
40 anos que Israel passou no deserto;
40 dias que Elias demorou para percorrer o caminho até Horeb/Sinai; 
40 dias de Jesus no deserto se preparando para a vida pública e enfrentando as tentações.

Os 40 dias de Quaresma também são para nós dias de preparação, de conversão, santificação, purificação e reflexão sobre a vida de Jesus, as dores, a Paixão e os ensinamentos.  Dias de profunda interiorização e compreensão de que, como na Quarta-feira de Cinzas somos lembrados, do pó viemos, ao pó voltaremos, de que nós sem Deus não somos nada.

"Pois ele diz: Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação (Is 49,8). Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação." (2Cor 6:2) 

A Quaresma é o tempo favorável, tempo de voltar para Deus e reconhecê-lo verdadeiramente como Senhor. Tempo de prova antes de uma grande vitória. Tempo de reconciliação com o Pai, de arrependimento dos pecados que são justamente o que nos afasta da glória do Senhor, de confissão. 

• Para bem viver a Quaresma

Entendendo melhor o que é a Quaresma e o que ela representa podemos então também aprender a vivê-la bem, a fim de nos aproximarmos de Deus.

Ao longo deste período, a Igreja propõe de fato que os fiéis façam uma penitência, algo de que se abstenha durante os 40 dias em prol da santificação, como uma mortificação em sinal de oração e súplica a Deus.


Algumas sugestões de penitência são, por exemplo:

- Alimentar: substituir a carne por peixe ou outro alimento; comer de forma modesta; suspender doces, refrigerantes ou guloseimas; reservar um dia para fazer um jejum total ou parcial.
- Corporal: rezar alguma oração mais prolongada de joelhos; não usar elevadores ou escadas rolantes; deixar de usar o carro e pegar apenas transporte coletivo ou ainda descer do ônibus um ponto antes do necessário e andar a pé.
- Moral: não reclamar mas agradecer a Deus pelas adversidades; sorrir sempre mesmo em situações difíceis; moderar o uso das tecnologias e redes sociais; acordar mais cedo para rezar; não ouvir música no carro; trocar a TV por leitura; falar bem das pessoas que se gostaria de criticar; dormir no horário mesmo sem vontade; doar tempo e trabalho a quem precisa.

Essas práticas, bem como viver os dias de preceito na Igreja e buscar o Sacramento da Confissão são essenciais para verdadeiramente viver o período da Quaresma.


Aproveitar principalmente esse momento para cada vez mais união à comunidade, realização de grupos de oração e ações de caridade no dia a dia em sociedade é fundamental também.

Que tal buscar saber em sua comunidade/paróquia a programação especial do tempo quaresmal? Aproveite para se engajar junto aos grupos e à sua família em iniciativas e cada um desses momentos e celebrações. 

Que possamos dessa forma propagar a mensagem de Deus e buscá-Lo em cada diocese de forma plena em especial neste Tempo tão importante para a solidificação da fé católica. E, nesta caminhada, o povo de Deus possa encontrá-Lo a fim de tornar-se ainda mais servo à disposição e entrega total aos planos do Senhor. Que após o período de deserto celebremos, então, a Páscoa do Senhor e a Ressurreição de Cristo unidos em comunidade!

 
 
 
 
 
 
Comente com o facebook
 
 
Um projeto da
 
Conheça nossas soluções
  •  
  •  
  •  
  •  
Redes sociais
  •